segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O ruído dos incompetentes

Há uns dias falava com uma amiga que me contava uma versão de uma história que, tristemente, conheço… :  Resolveu aprender mais, está a estudar, e é sistematicamente pressionada a não o fazer. É só mais um de muitos episódios dessa saga nacional.

(Só) Evoluímos enquanto sociedade (humanidade, país, concelho, empresa,…) se cultivarmos o conhecimento, o aperfeiçoamento de cada um de nós – isso é que vai enriquecer o todo. Contudo, neste país parece ser crime querer aprender mais.

Não sei como deixamos que sejam incompetentes a progredir e a arrasar a vida dos que procuram ganhar mais competências!

Não duvido que é a incompetência e insegurança de miseráveis pobres de espírito, sem capacidades sociais e humanas (mas com “esperteza”, que os faz fazer vingar essa última palavra dos Lusíadas*) que provoca estas atitudes.

Mas, em instância final, somos todos que perdemos!
 
As penas para quem quer estudar vão do “mal olhar” o usufruto de dias legalmente concedidos para formação (míseros!) à marcação de reuniões e trabalhos “inadiáveis” em dias que foram previamente marcados para estudo ou provas de avaliação. Tudo isto com atitudes de exclusão e de cerceio da evolução profissional. Muitos deixam de poder executar trabalhos que executavam anteriormente, pois o medo de que possam ser considerados competentes aflige os colegas de trabalho – sendo excluídos exatamente por serem os mais bem preparados para a função!

Na verdade, os mais incompetentes são os chefes/diretores/dirigentes que, devendo impedir o bullying contra qualquer funcionário, ainda se juntam aos bullies. Se fossem competentes, não o fariam!

Uma conhecida dizia-me que os dirigentes escolhiam “burros” para chefias intermédias, para que não pudessem fazer-lhes sombra… É estranho… referia-se a autarcas eleitos e, para além do conceito de político (aquele que trabalha para o bem da polis!), serão eles a mostrar menos obra feita se rodeados de incompetentes… E são eles e outras chefias os culpados pelo perpetuar desta pequenez de espírito.
 
Um apontamento: a amiga lá do primeiro parágrafo, como muitas pessoas que, felizmente, conheço, "estudam" por amor ao conhecimento e não para usar o "canudo" como escada...

 

*bem, já todos devem saber que é INVEJA!

Sem comentários:

Enviar um comentário